• De pequenino se deixa de torcer o nariz!

    by  • November 4, 2015 • Pessoal

    image
    Quando soube que estava grávida senti muita coisa, mas nunca a ansiedade do dia que não chegou. Não tinha a curiosidade de ver a cara dos meus malabaristas, nem estava mortinha que chegasse o dia do parto; depois deles nascerem, não ansiei que começassem a sorrir, a gatinhar, a andar ou a falar. Tenho vivido no presente, aproveitando cada momento, cada descoberta, cada revelação que o mundo lhes faz.
    De tudo, o que sentia mais curiosidade prendia-se, claro!, com a alimentação. Como seria quando eles começassem a comer? Gostariam? O que lhes faria? A primeira vez que comeram pensei Acabou-se…vão continuar a beber só leiteb, tamanha foi a confusão que fizeram. Acho que demoramos mais de 1h para que comessem sopa e fruta…
    Foi nessa altura, também, que comecei a procurar mais informação sobre a alimentação dos bebés. Li algumas coisas, mas o que me adiantou mesmo foi falar com pessoas que já tinham passado pelo mesmo e com as quais, de algum modo, me identificava. À base da sopa deles (batata, cebola, cenoura) fui acrescentando os legumes que iam chegando da horta e, de todos, só reagiram mal ao alho francês: foi um verdadeiro pandemónio das duas vezes que lhes tentei dar. No final da sopa, a fruta: maçã, banana, pêra. Não havia muita volta a dar…dava cada uma das peças separadas ou misturava um pouco de cada. Aos 6 meses comecei a raspar a fruta em vez de reduzir a puré e, só agora, aos 8 meses, começaram a variar. Para já, acrescentaram papaia e maracujá ao repertório.
    Para além da sopa e da fruta, também comem papas. Comecei por dar-lhes papa de arroz cozido, branco e integral, à qual misturava, no fim, leite em pó e fruta. Depois acrescentei outros cereais sem glúten, como milho. Mais tarde aveia, depois sarraceno e por aí adiante. De todas, as que mais faço são as papas de aveia, que deixei de reduzir a puré aos 6 meses. Quando não faço em casa, comem da marca Holle, porque são biológicas e isentas de açúcar. Esta semana começaram a comer iogurte natural não açucarado, ao qual junto fruta e linhaça moída. Uma aventura!
    Estas foram as minhas escolhas.
    Já sei que mais cedo ou mais tarde vão comer açúcar e outras tretas, mas se puder adiar, tanto melhor. Cresci a comer muita fruta e legumes, muitos cozidos e grelhados e, mesmo saindo da raia algumas vezes, essa continua a ser a base da minha alimentação.

    Mais alguém por aqui faz papas em casa?